Sem apoio do PSDB, João Doria desiste da candidatura à Presidência


O ex-governador de São Paulo João Doria (PSDB) anunciou a desistência de sua pré-candidatura à Presidência do Brasil. Ele enfrentava resistências internas em seu próprio partido, que negocia com o MDB e o Cidadania para lançar um concorrente único nas eleições de outubro.


A senadora Simone Tebet (MDB-MS) conta com o apoio dessas siglas, mas o anúncio de uma chapa unificada para a chamada "terceira via" ainda não ocorreu. Além disso, os tucanos adiaram para 2 de junho a reunião da executiva nacional originalmente marcada para amanhã. No pronunciamento, Doria afirmou: "Para as eleições deste ano, me retiro com o coração ferido, mas com a alma leve".


Ele havia sido escolhido pré-candidato em novembro, após as tumultuadas prévias do PSDB nas quais derrotou o ex-governador do Rio Grande do Sul Eduardo Leite. O resultado gerou tensões internas com a ala da legenda que defendia o nome de Leite. No final de março, o ex-governador paulista chegou a ameaçar desistência da pré-candidatura, mas voltou atrás. O movimento foi lido como um contra-ataque dirigido a apoiadores do gaúcho.


Em 14 de maio, Doria enviou uma carta ao presidente do partido, Bruno Araújo, na qual subiu o tom ao reafirmar que não desistiria da disputa e indicar que poderia responsabilizar o PSDB na Justiça caso não fosse candidato.


Postado por: Wilson Reis (Jornalista - DRT-ES 01358)

Imagem e Fonte-Base: G1


4 visualizações0 comentário